Qual o valor de um bom pai? Parte 2…

Estava eu, esta manhã, tomando meu café, lendo meus jornais, quando ganhei um presente que quero compartilhar com você. O Armínio Fraga vendeu um pedaço do Gávea para o JP Morgan. As ações da Petrobrás tiveram alta de 5% em um só dia. Os brasileiros já pagaram R$ 1 trilhão em impostos. Foi em meio a estas notícias que minha empregada, que lavava a louça enquanto eu lia, me interrompeu para me contar uma história. O irmão que voltará há pouco do sertão nordestino para SP havia trazido uma carta do pai, já falecido.

Na carta, o pai contava aos filhos o que deixava para eles de herança.

Contou que a primeira casa da família, foi construída por ele próprio, com madeira de árvores da região, barro e folhas de coqueiro. Uma casa de pau a pique. Um dia, ele trabalhava na roça quando viu a fumaça: a casa estava em chamas. Brincando, os três filhos pequenos, entre eles minha empregada, havia deixado cair uma vela acesa que causou o incêndio. Ninguém se machucou. Foram todos morar apertados na casa de parentes.

O pai então construiu a segunda casa, desta vez de tijolos de barro que ele mesmo vez. Com a ajuda dos filhos, montou a casa. O inusitado aconteceu no agreste nordestino: choveu. Choveu muito. A casa, que era de tijolos feitos à mão e não cozidos virou um monte de barro. Estavam desabrigados de novo.

Um dia, o pai encontrou uma carteira cheia de dinheiro. Um caminhoneiro a havia esquecido no banheiro de um posto de gasolina. O pai guardou a carteira, pois sabia que o caminhoneiro voltaria. E voltou. E deu uma recompensa em dinheiro ao pai. Com o dinheiro, o pai construiu mais uma casa, agora com tijolos cozidos. Por anos moraram na casa até o casamento da sua primogênita. O pai então vendeu a casa para poder alugar um vestido de noiva para a filha. Foram todos morar apertados na casa de uma parente até o pai juntar dinheiro e construir a quarta casa da família.

A carta termina com a herança. Uma frase. “O que vale não é o que temos, mas sim o que somos”.

Quanto vale um bom pai?

Um abraço,

Eduardo Luzio

About Eduardo Luzio

Economista pela USP (88) e PhD pela PhD University of Illinois (93). Consultor em finanças corporativas e estratégia. Professor de finanças na FEA-USP, FGV -SP e Insper.

No comments yet... Be the first to leave a reply!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: